O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

REINO UNIDO: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio no Reino Unido decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

  • Atualmente, Portugal encontra-se na “amber list” definida pelo governo britânico que determina que as pessoas provenientes dos países que a compõem têm de cumprir quarentena de 10 dias à chegada ao RU mas, a partir de 19 de julho, essa obrigação deixa de se aplicar a quem já tiver a vacinação completa, decorridos mais 14 dias.

 

 

  • Plano de desconfinamento pode ser visto neste comunicado do Primeiro-Ministro britânico, ou através das seguintes notícias da BBC e Dinheiro Vivo. RU encontra-se na fase 3 (de 4) da saída do estado de Lockdown”. Desde 12 abril que todo o comércio não essencial pode voltar a abrir e desde 17 de maio que toda a atividade económica pode operar em espaços abertos e fechados (exceto discotecas que devem permanecer encerradas), desde que respeitando as medidas de segurança contra a COVID-19. As viagens internacionais também já foram retomadas, incluindo as turísticas. Limite de 30 pessoas em encontros no exterior e de 6 no interior (podem ser mais, se forem de apenas 2 agregados diferentes). A última fase do plano está prevista para o dia 19 julho (abertura total da atividade económica).

 

  • Constrangimentos pós-Brexit – desde 01-01-2021, verificam-se alguns problemas logísticos, aduaneiros, alfandegários e procedimentais que não aconteciam anteriormente. Apesar do novo acordo de comércio celebrado entre as partes, as trocas comerciais entre a UE e o Reino Unido passaram a estar sujeitas a procedimentos aduaneiros, trâmites burocráticos e a controlos fronteiriços (à semelhança do que acontece com qualquer outro país terceiro), que antes não existiam.

 

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

Segundo um artigo do The Guardian (set 2020), estima-se que o governo britânico já tenha lançado mais de 190 medidas de apoio às empresas e cidadãos. Em traços muito gerais, as medidas consistem na:

  • Facilidade de acesso ao crédito e isenção de impostos para empresas afetadas pela Pandemia;

  • Disponibilização de subsídios para apoio aos setores mais afetados (turismo, restauração, cultura e entretenimento, retalho), e a setores que nesta altura se revestem de especial importância (saúde, I&D).

  • Proteção de arrendatários comerciais e habitacionais (isenção de pagamento de obrigações; subsídios de apoio ao pagamento de rendas; proteção de inquilinos em risco de despejo)

  • Proteção dos trabalhadores e desempregados (subsídios de apoio à manutenção de emprego foi estendida até 30-09-2021.

  • Poderá consultar as principais medidas nas fontes: GOV, IFG, FTI Consulting ou em BDO UK.

 

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS 

NOVAS OPORTUNIDADES:

  • Crescimento exponencial do E-Commerce: vendas online representaram quase 30% do total

  • Produtos farmacêuticos e relacionados com a saúde

  • Construção e Materiais de construção –programa “Construction 2025 e “Industrial Strategy

  • Saúde e Life Sciences - financiamento público de £500m em investigação e £1bn em invest. industrial.

  • TIC/Tech (Digital) - A indústria cresceu 6x mais rápido do que qualquer outro setor no RU em 2019.

  • Energias renováveis/soluções energéticas/ambiente- “10 pontos - Revolução Industrial Verde”.

  • Conselhos úteis: Verificar guia de preparação para o Brexit da AT; Aproveitar fortes e antigas relações bilaterais com o Reino Unido; Apresentar produtos diferenciadores e com conteúdos design e marca própria; Apresentação dos produtos deve adaptar-se ao gosto do consumidor britânico, devendo-se sempre consultar as autoridades reguladoras neste campo; Contacto telefónico essencial para agendamento de futuras reuniões; As relações pessoais são fundamentais e as viagens de prospeção ao país necessárias (de momento não é conveniente deslocar-se ao país por causa da quarentena obrigatória. Alternativamente, deve insistir no agendamento de e-meetings); Catálogos e toda a literatura da empresa devem ser escritos em inglês correto e cuidado; Os britânicos são pragmáticos, se lhes interessa um produto indicam-no prontamente, não colocando obstáculos à origem desde que o preço e condições sejam bons; Legislação específica para determinados produtos, que é necessário conhecer antes de os tentar introduzir no mercado; A grande maioria das feiras comerciais passou para formato digital ou foi adiada para o 2º semestre de 2021 ou 2022; Empresas portuguesas com subsidiárias no Reino Unido poderão ter melhor acesso aos países da Commonwealth e facilidade em fazer negócio.

 

SITES RELEVANTES

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 15 de julho de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.