O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

PAÍSES BAIXOS: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio nos Países Baixos decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

  • O Primeiro-ministro, Mark Rutte anunciou no dia 20 de abril através de um comunicado extraordinário dirigido ao país um alívio das medidas restritivas em vigor, entre as quais o fim do recolher obrigatório, a abertura das esplanadas e do retalho (ainda com bastantes restrições), a partir do próximo dia 28 de abril;
  • O conselho de não viajar para o estrangeiro aplicar-se-á até quinta-feira 15 de maio, inclusive;
  • Deixou de haver obrigatoriedade de quarentena ou apresentação de resultado negativo à COVID-19, para pessoas que viagem de Portugal para os Países Baixos (Travelling to the Netherlands from abroad);
  • As previsões de crescimento económico para 2021 foram revistas em baixa, 2,2% (prognósticos em dezembro último apontavam para 2,8%);
  • Não se conhecem dificuldades de entrada ou saída de mercadorias ou limitações logísticas de relevo. Transportadores e condutores não precisam de um certificado de teste negativo para entrar nos Países Baixos.
  • Setores mais afetados: Retalho, Restauração, Hotelaria, Transportes, Construção civil, Organização de Eventos;
  • O índice de confiança do consumidor continua negativo, mas já demonstra melhorias desde março último;
  • As reuniões presenciais continuam a não ter lugar;
  • Eventos presenciais como, por exemplo, feiras, foram cancelados ou adiados para o segundo semestre ou 2021.

 

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

  • (NOW): Redução do tempo de trabalho dos trabalhadores, com apoio financeiro do Estado;
  • (Tozo): Auxílio aos cerca de 1,2 milhões de freelancers, que terão acesso mais célere aos apoios no caso de perderem contratos devido à crise provocada pela epidemia;
  • Possibilidade de apoio temporário e condicional do Estado para grandes empresas ‘vitais’ para a sociedade holandesa, que demonstrem ser saudáveis antes da pandemia;
  • (BMKB-C): Crédito com um máximo de € 1,5 milhões, para empresas até 250 trabalhadores, com mais de três anos de existência e faturação máxima anual de € 50 milhões;
  • (COL) Pacote de € 300 milhões para créditos especiais para startups e scale-ups;
  • Extensão da Garantia de Estado aos seguros de crédito de curto prazo;
  • Adiamento do pagamento de diversos impostos e respetivo pagamento repartido por 36 meses, para empresas, trabalhadores individuais e trabalhadores por conta própria;
  • Bónus de € 1.000 (livres de impostos) para trabalhadores independentes na área de saúde;
  • Pacote adicional de € 9 milhões (a juntar aos € 882 milhões iniciais) para o sector da cultura;
  • Concessão de ajuda estatal à KLM no valor de € 3,4 mil milhões;
  • (TONK) Apoio Temporário para Custos Essenciais para famílias em situação difícil.

 

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

  • Posicionamento como fornecedor nearshore como reação à tendência de valorização do produto manufaturado no continente europeu;
  • Reforço da mensagem sobre a ‘histórica’ capacidade de Portugal para o fabrico de pequenas séries e entregas mais rápidas e/ou frequentes;
  • Investimento numa estratégia digital interna, mas, igualmente, externa que privilegie os canais estrangeiros de distribuição e comunicação;
  • Investimento no sustentável, nas temáticas relacionadas com a ‘economia verde’, de produtos, serviços e áreas como a mobilidade e as energias renováveis;
  • Retoma gradual da presença e visita a eventos de relevo;
  • Parcerias com empresas holandesas que, por sua vez, possuem frequentemente contactos privilegiados com outros mercados;
  • Tratando-se de um mercado bastante concentrado, competitivo (entram e são oferecidos produtos de todo o mundo) e onde o fator preço é essencial, torna-se essencial oferecer um produto que se diferencie.

 

SITES RELEVANTES

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 26 de abril de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.