O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

MARROCOS: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio em Marrocos decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

No quadro das medidas de prevenção da pandemia COVID-19, Marrocos suspendeu as suas ligações aéreas com 53 países, até ao dia 10 de junho p.f., a saber: Espanha, França, Portugal, Bélgica, Turquia, Suíça, Alemanha, Países Baixos, Áustria, Suécia, Ucrânia, República Checa, Austrália, Irlanda, Nova Zelândia, África do Sul, Dinamarca, Reino Unido, Brasil, Argélia, Egipto, Polónia, Noruega, Finlândia, Grécia, Líbano, Kuwait, Argentina, Bósnia-Herzegovina, Botsuana, Camarões, Croácia, Moçambique, Mali, Gana, República Democrática do Congo, Guiné-Conacri, Líbia, Tunísia, Albânia, Bulgária, Chipre, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Roménia, Sérvia, Eslováquia e Eslovénia.

O estado de urgência permanece em vigor inclui: (i) encerramento das fronteiras aéreas, terrestres e marítimas; recolher obrigatório em todo o território nacional, entre as 21h00 e as 06h00 da manhã; encerramento dos restaurantes, cafés, comércio e grandes superfícies pelas 20h00, sendo que em Casablanca, Agadir, Marraquexe e Tanger os referidos estabelecimentos estão totalmente encerrados, e; proibição de festas e de agrupamentos.

Vários setores continuam impactados pela pandemia, como por exemplo:  setor têxtil em face da anulação das encomendas de verão dos seus principais clientes europeus, está a contribuir para a falência de muitas empresas no mercado, sobretudo de PME; setor imobiliário que viu os seus projetos, em 2020, caírem 34% e os concluídos 19%; e preços das matérias primas agrícolas, energéticas e de metais quase que duplicaram durante 2020 e escassez de algumas com impacto no setor automóvel.

 

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

O CVE – Comité de Veille Économique decidiu prolongar as medidas de apoio do Estado à economia, até ao final de junho pf., para empresas dos setores do turismo, restauração, gestão de eventos, parques de diversões e parques de jogos, ginásios privados, imprensa e indústrias culturais e criativas, assim como para creches.

Dois acordos de parceria entre o grupo Marjane, a Federação Nacional de Processamento Alimentar e a Associação Marroquina das Indústrias Têxtil e do Vestuário, para desenvolvimento do sourcing a partir de fabricantes nacionais, assim como para promoção na área alimentar do "Made in Morocco".

Assinatura de acordo de parceria entre o Ministério da Indústria, Comércio, Economia Verde e Digital, a Universidade Mohammed VI e a Universidade Politécnica de Benguerir (UM6P) para criação de uma incubadora no sector do comércio, designada "Moroccan Retail Tech Builder" (MRTB), no âmbito do Plano de Recuperação do Comércio 2021-2023. O objetivo é apoiar cerca de 100 líderes de projeto no desenvolvimento de soluções digitais inovadoras para o comércio local, através de ferramentas digitais para dar resposta aos desafios atuais.

 

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

As empresas portuguesas presentes no mercado devem estar atentas aos vários programas que estão a ser lançados pelo governo marroquino visando identificar as potencialidades de empresas portadoras de projetos industriais inovadores e/ou com desejo de reconversão dos seus negócios, e encorajar a emergência de uma nova geração de indústrias, com o objetivo de criação de emprego e de riqueza na fase pós-COVID-19.

Num contexto marcado por um processo de relocalização em curso da produção mundial, seguido da perturbação das cadeias de aprovisionamento, agravada pela pandemia, regista-se uma clara tendência de reposicionamento estratégico, por parte dos decisores no que concerne a localização das suas zonas industriais. Assim, Marrocos começa a ser encarado como um mercado alvo, em face da sua excelente posição geográfica, de uma infraestruturação moderna e detentora do porto de contentores mais relevante (Nº1) do mediterrâneo, para além de uma mão-de-obra jovem e qualificada, do baixo salário mínimo, de vantagens fiscais oferecidas pelo país, só para citar algumas.

Por outro lado, este enquadramento empurrou o Reino de Marrocos a um ajustamento da sua estratégia de atração de IDE, como por exemplo, reforçando a promoção dos ecossistemas, do “Made in Morocco” ou a aposta na economia verde (programa Tatwir verde/descarbonização), com vista a capitalizar este enorme potencial.

 

SITES RELEVANTES

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 26 de abril de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.