O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

Guiné-Bissau

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio na Guiné-Bissau decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

O Governo prorrogou o nível de alerta de Estado de Calamidade, por um período de 30 dias (de 25/03 a 24/04) com restrições ao nível de:

  • O uso obrigatório e correto de máscara facial na via pública bem como o distanciamento social (mínimo 1 m).
  • As reuniões e manifestações em espaços fechados bem como eventos religiosos e desportivos não devem exceder a lotação de 50% da capacidade da sala, nem o número máximo de 50 pessoas, devendo cumprir com as medidas de prevenção. O mesmo se aplica a funerais.
  • Proibição de realização de quaisquer eventos sociais, culturais, que impliquem aglomeração de pessoas.
  • Abertura de estabelecimentos de ensino, comerciais e mercados, com obrigatoriedade de cumprimento das medidas de prevenção.

As fronteiras terrestres, marítimas e aeroportuárias mantêm-se abertas, estando as entradas no território sujeitas ao controlo sanitário, nomeadamente através de:

  • Apresentação de Certificado de Teste RT-PCR negativo para COVID-19, realizado com uma antecedência máxima de 72 horas.
  • Realização de um rastreio de sinais e sintomas evocativos de COVID-19.
  • Preenchimento de formulário com informações relativas ao estado de saúde e todos os detalhes de contato na origem e no destino.

É permitida a realização de voos internacionais. A TAP realiza 2 voos semanais e EuroAtlantic Airways realiza um voo semanal.

 

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

  • Aumento dos recursos financeiros colocados à disposição dos bancos, procedendo a um aumento de 340 mil milhões CFA ao montante disponibilizado semanalmente, totalizando 4.750 mil milhões CFA.
  • Diversificação do leque de mecanismos disponibilizados para o acesso dos bancos ao refinanciamento do Banco Central, através da cotação de empresas privadas, cujos títulos podem ser utilizados como colateral.
  • Concessão de moratórias que podem variar entre três e seis meses.
  • Incentivo à utilização dos meios de pagamento digitais, procurando reduzir a manipulação de notas, através de uma série de reduções, isenções e aumento dos limites legais do porta-moedas eletrónico.
  • FMI aprovou o desembolso de 20,47 Milhões USD em assistência de emergência para combate à pandemia de COVID-19 e  recuperação da economia.
  • A especulação de preços dos bens de consumo é condenada, sujeita ao dobro da multa máxima prevista na lei, podendo ser confiscado todo o stock existente nas instalações em caso de reincidência.

 

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

Setor Alimentar: A nível dos produtos alimentares continua a existir espaço para colocação de produtos portugueses.

Saúde: Materiais de desgaste rápido, de proteção, de limpeza, etc.

Setor da Construção: Materiais de construção.

 

 

SITES RELEVANTES

Embaixada de Portugal na Guiné-Bissau

Alto Comissariado para o Covid

Governo da Guiné Bissau

Bissau online

AC COVID

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 26 de abril de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.