O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

COREIA DO SUL: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio na Coreia do Sul decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

Na generalidade, as ações promocionais presenciais (nomeadamente feiras) foram recentemente retomadas, embora se realizem com sérias limitações devido à rápida oscilação do número de infetados. A subida do número de infetados com a variante Delta+ levou as autoridades coreanas a decretarem o nível 4 (o mais alto) de distanciamento social a partir, de 12 de julho, na zona metropolitana de Seul, por um período de duas semanas. A maior parte dos eventos está a ser suspensa e/ou recalendarizada para o segundo semestre ou com carácter exclusivo online, e o posicionamento dos atores económicos de relevo são de prudência (como Bank of Korea). Por outro lado, a ausência de um regime de fast track para empresários entre a Coreia e a UE (o que implica um regime de quarentena, custeado pelo passageiro, neste caso o empresário) impossibilita a prática de uma deslocação.

Todavia, a economia mantém-se em funcionamento, apesar das sucessivas vagas de infeção, e não existe reporte de empresas sobre dificuldades adicionais à entrada de produtos no mercado (ex. exigência de certificações suplementares decorrentes de nova legislação ou relacionadas com a interrupção de transporte local e internacional).

Sectores mais afetados: aviação, turismo e HORECA.

 

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

Em 2020, o governo implementou três programas chave e quatro orçamentos suplementares de estímulo à economia, face à pandemia da COVID-19 para: alívio da carga fiscal; financiamento às PME; apoio aos governos regionais e aos cidadãos; e despesas na saúde e plano de imunização da população. A terminar em novembro, e essencial para a recuperação económica em 2021, o seu cumprimento está em causa por suspensão da vacina Astrazeneca e atrasos no fornecimento e desenvolvimento de vacinas locais, a chegar ao mercado só no próximo ano. À data, 30,4 % da população (15,58M habitantes) já recebeu a 1.ª dose da vacina e 5,87M habitantes têm o processo de inoculação completo (fonte: NAVER, 12 julho).

Em março pp, foi aprovado o primeiro orçamento suplementar, de 14,9 triliões de won, para apoio a pequenas empresas, produtores agrícolas e pescadores e empresas de turismo e lazer; programas de retenção e criação de empregos; e medidas de controlo de doenças (fonte: Min. Economia e Finanças; 25 março). Está em discussão novo orçamento suplementar, de 33 triliões de won ($28,7 mil milhões) para famílias de baixo rendimento e comércio tradicional (fonte: Korea Herald, 12 julho).

O Presidente Moon apresentou ao Presidente dos EUA, na visita em maio, um plano de investimento estimado em 40 triliões de wons ($ 35 mil milhões), em troca de cooperação, mais estreita, no fornecimento de vacinas. Os principais conglomerados coreanos - Samsung Electronics, Hyundai Motor - e os fabricantes de baterias LG Energy Solution e SK Innovation confirmaram e/ou deverão anunciar investimentos consideráveis em novas fábricas nos EUA. (fonte: Korea JoongAng Daily)

 

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

Apesar das atuais restrições impostas à entrada de estrangeiros, que são impeditivas à realização de prospeção in loco, este período poderá representar uma oportunidade para estudar o mercado (com apoio da AICEP e de outros organismos, como associações sectoriais) e planear a sua execução (ex. missões/programas de reuniões virtuais) no decurso de 2021.

Dada a eficácia das medidas tomadas pelo governo coreano na contenção da pandemia e dos respetivos pacotes de estímulo financeiro, assim como da manutenção da economia em funcionamento tanto pelo Estado como pelo sector privado, a Coreia poderá representar um novo mercado (e mais seguro) de aposta para as empresas portuguesas.

Tal como noutros mercados asiáticos, chama-se a atenção para a crescente importância do recurso às plataformas digitais na realização na interação com os operadores coreanos, quer pela importância dos canais de vendas on-line no país, quer pela utilização de meios de comunicação digitais para promoção de reuniões e feiras virtuais.

 

SITES RELEVANTES

Embaixada de Portugal em Seul
Página oficial da representação diplomática de Portugal na Coreia, através da qual o empresário poderá acompanhar a atividade da Embaixada e obter conhecimento atualizado das medidas políticas com impacto relevante na comunidade portuguesa local.

Governo Coreano
Página oficial do Ministério da Saúde, através da qual o empresário poderá acompanhar a evolução do COVID-19 no país (possui versão inglesa)

Ministério de Comércio, Indústria e Energia da Coreia
Página oficial do Ministério do Comércio, Indústria e Energia, que tem sob a sua tutela a pasta do comércio internacional. Possui versão inglesa.

Agência Yonhap News

Página oficial da agência de notícias de referência na Coreia (com perfil semelhante à agência Lusa), é um canal de comunicação genérico, o qual recomendamos para acompanhamento transversal do país por parte do empresário. Tem versão em inglês.

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 15 de julho de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.