O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

COREIA DO SUL: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio na Coreia do Sul decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

Na generalidade, as ações promocionais presenciais (missões, feiras e visitas de prospeção) não se têm realizado, quer pela rápida oscilação do nº de infetados e consequente subida do nível de distanciamento social (a Coreia está na terceira vaga de infeções), quer pela ausência de um regime de fast track para empresários entre a Coreia e a UE (o que implica um regime de quarentena, custeado pelo passageiro, neste caso o empresário, impossibilitando na prática uma deslocação).

Não se registam novos constrangimentos – a economia mantém-se em funcionamento, apesar das sucessivas vagas de infeção, e não existe reporte de empresas sobre dificuldades adicionais à entrada de produtos no mercado (ex. exigência de certificações suplementares decorrentes de nova legislação, ou ainda relacionadas com a interrupção de transporte local e internacional).

Em termos de sectores afetados, destacamos a aviação, automóvel, construção naval, petroquímicos, turismo e HORECA.

 

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

O executivo coreano implementou três programas chave e quatro orçamentos suplementares, os quais incluíram: alívio da carga fiscal, linha de financiamento das PME (para apoio genérico, posteriormente reforçada no segmento de pequenas empresas, e linha de apoio importação/exportação); fast track aduaneiro/medidas para importação de matérias-primas e bens intermédios destinado à indústria, apoio aos governos regionais, estabelecimento do programa de emergency relief para os cidadãos (com atribuição de subsidio de emergência) e coupons (para estímulo do consumo interno) e, por último, despesas relacionadas com o sector da saúde e com o plano de imunização da população.

O Orçamento de Estado para 2021, no valor de 508 triliões de won ($ 504.4 mil milhões) tem como prioridade o financiamento de programas destinados à criação de novos empregos e relançamento do crescimento económico, sob a égide do Korea New Deal, o novo modelo de crescimento económico para a Coreia com base na Sustentabilidade (Economia Verde) e digital.

 

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

Apesar das atuais restrições impostas à entrada de estrangeiros, que são impeditivas à realização de prospeção in loco, este período poderá representar uma oportunidade para estudar o mercado (com apoio da AICEP e de outros organismos, como associações sectoriais) e planear a sua execução (ex. missões/programas de reuniões virtuais) no decurso de 2021.

Dada a eficácia das medidas tomadas pelo governo coreano na contenção da pandemia e dos respetivos pacotes de estímulo financeiro, assim como da manutenção da economia em funcionamento tanto pelo estado como pelo sector privado, a Coreia poderá representar um novo mercado (e mais seguro) de aposta para as empresas portuguesas

 

SITES RELEVANTES

https://www.seul.embaixadaportugal.mne.pt/pt/

http://www.mohwgo.kr/eng

http://english.motie.go.kr/

https://en.yna.co.kr

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 1 de março de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.