O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

PEQUIM: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio em Pequim decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

  • Permanecem suspensas as exportações de 5 estabelecimentos portugueses de produtos aquáticos para o mercado chinês, desde o último terço de 2020, devido a casos de infeção por SAR-CoV-2 registados entre os seus trabalhadores e aplicação insuficiente de medidas de prevenção e controlo epidémico;
  • Mantém-se a impossibilidade da realização de visitas à China por parte dos empresários portugueses, limitando os trabalhos de promoção neste mercado, nomeadamente a participação em feiras setoriais de maior relevo e o acompanhamento de clientes chineses;
  • Constrangimentos verificados ao nível do transporte marítimo de mercadorias devido à escassez de contentores e rotas em funcionamento, aumento do tempo de viagem e constrangimentos aduaneiros, decorrentes das medidas de prevenção e controlo SAR-CoV-2 implementadas pelas autoridades alfandegárias chinesas sobre mercadorias importadas. Adicionalmente, as empresas portuguesas reportaram que o transporte ferroviário de mercadorias, da Europa Central para a China, aumentou de 4 para 7 a 8 semanas e o transporte rodoviário, realizado por camião, encontra-se bloqueado.


APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

  • De acordo com a State Taxation Administration (STA), a China concedeu benefícios fiscais no valor de 386 mil milhões de dólares em 2020;
  • Concessão de subsídios às empresas para retenção de postos de trabalho, aumento das taxas de recrutamento nas empresas estatais e aumento dos estágios concedidos por estas empresas a recém-licenciados e trabalhadores-estudantes;
  • Facilitação dos processos alfandegários apoiando a retoma das exportações chinesas; injeção de liquidez no mercado pela redução das reservas de capital aplicadas à banca comercial que permitiram aumentar a concessão de créditos; reforço do investimento em infraestruturas;
  • Conselho de Estado anunciou, no passado dia 31 de março de 2021, novo pacote de reduções fiscais, no valor de 83,66 mil milhões de dólares, para o ano de 2021, com o objetivo de fortalecer o apoio às PME deste país e permitir a sua recuperação económica sustentada.

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

Devido à dificuldade de realizar deslocações ao mercado chinês aconselha-se às empresas portuguesas a aposta nos canais de comunicação digitais, promovendo reuniões com contrapartes chinesas com recurso a plataformas como o Zoom ou a Tencent Meetings, participação em edições online de feiras e webinars setoriais e a aposta, sempre que possível, nos canais de venda online que melhor correspondam aos seus modelos de negócio.

Aos produtores nacionais que exportam ou pretendem exportar bens agroalimentares para o mercado chinês, aconselha-se o reforço do controlo sobre as mercadorias expedidas, uma vez que os produtos da cadeia de frio, importados por este país, são alvo de medidas adicionais de prevenção e controlo de COVID-19 impostas pela Administração Geral das Alfândegas da China (deverão ser contactados os serviços centrais da Direção Geral de Alimentação e Veterinária a este respeito para clarificação dos requisitos adicionais, bem como os serviços centrais da AICEP e delegações da AICEP em Pequim, Xangai, Cantão e Macau);

Aconselha-se às empresas nacionais particular atenção na aquisição de materiais e equipamentos médicos chineses devido ao aumento do número de diferendos entre empresas portuguesas e chinesas, devido ao incumprimento de prazos estabelecidos e das condições acordadas;

Releva-se a crescente importância dos canais de vendas on-line na China, devido às alterações nos hábitos de consumo neste mercado, com uma fatia cada vez mais crescente destes cidadãos a recorrer às plataformas de comércio online.

SITES RELEVANTES

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 15 de julho de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.