O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

MACAU: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio em Macau decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

Governo da RAEM mantém a proibição à entrada de estrangeiros e não residentes em Macau.

Período de quarentena, para entrada no território, passa de 14 para 21 dias.

Limitações nas deslocações a Hong Kong e obrigatoriedade de quarentena de 21 dias em ambos os territórios.

Segundo dados publicados pela Direção dos Serviços de Estatística e Censos:

  • PIB: € 4 025 milhões, 3ºTri/2020 (-63.8% v.h.)
  • Taxa Desemprego: 2.7%, 4ºTri/2020 (+1 p.p. v.h.)
  • Taxa Inflação: 0,81% (2020)
  • Exportação: € 1,12 mil milhões, 2020 (-15,5% v.h)
  • Importação: € 9,64 mil milhões, 2020 (2,7% v.h)
  • Entrada de Visitantes: 5,89 milhões, 2020 (-85% v.h)
  • Taxa Ocupação Hotéis: 53,1%, Dez/2020 (-38.9 p.p. v.h)
  • Receitas Brutas Jogo: € 5,8 mil milhões, 2020 (-80.5% v.h.)

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

  • Pacote de medidas anticrise, destinado a empresas e população, no valor de aproximadamente € 2,72 mil milhões (MOP 20 mil milhões), em fevereiro 2020.
  • Segunda ronda de medidas de apoio económico no valor de aproximadamente € 5,68 mil milhões (MOP 50 mil milhões), em abril 2020.
  • Criação de um Fundo específico de apoio ao combate à epidemia no valor de € 1,14 mil milhões (MOP 10 mil milhões), em abril 2020.
  • Isenção de quarentena para cidadãos chineses que residem na China continental, mediante apresentação de teste negativo para coronavírus.
     

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

Projeto de diversificação da economia, que tem como principais objetivos: consolidar a cooperação Guandong-Macau, através da dinamização da região de Hengqin (Ilha da Montanha), que passará a ser gerida por ambos os territórios, estando previsto criar um ambiente tributário similar ao de Macau; fomentar a criação de indústrias de alta tecnologia e a construção de uma cidade inteligente; impulsionar o desenvolvimento da prestação de serviços financeiros modernos; e dinamizar o desenvolvimento sustentado da indústria transformadora de Macau, no âmbito do regime do Acordo CEPA, com destaque para a indústria alimentar.

Projeto da Grande Baía, no âmbito do qual está previsto: atração de empresas com elevada capacidade competitiva a investirem e desenvolverem atividades em Macau; implementação de medidas de facilitação comercial para a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, nomeadamente a facilitação de desalfandegamento de mercadorias; reforçar a cooperação estreita entre as duas ERA (Macau e Hong Kong) nas áreas económica, comercial e financeira; e reforçar o papel de Macau como uma Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (PLP) promovendo a expansão empresarial para o exterior, apoiando as empresas da região da Grande Baía a expandirem os seus negócios nos mercados lusófonos e da União Europeia e atraindo investimento externo para esta região.
 

SITES RELEVANTES

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 1 de março de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.