O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.

HONG KONG: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio em Hong Kong decorrentes da COVID-19.

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS PARA AS EMPRESAS

Sendo Hong Kong um importante hub comercial na região ou uma porta de entrada para o mercado chinês, o encerramento das fronteiras e as restrições de viagens em Hong Kong afetaram significativamente as operações das empresas. Estas limitações têm tornado muito difícil o envio de mercadorias de e para Hong Kong, bem como as reuniões presenciais com clientes, parceiros e fornecedores. As fronteiras fechadas, sem quaisquer orientações quanto ao caminho para a reabertura, geram incertezas junto da comunidade empresarial local.
Os governos de Hong Kong e Macau estão a negociar uma bolha de circulação entre os dois territórios. Contudo, a implementação desta medida não dependerá somente do número de casos registados em Hong Kong, mas, também, de uma decisão do Governo Central em Pequim.

O esforço do governo da RAEHK para a inoculação da vacina em grande escala junto da comunidade local tem vindo a alcançar resultados muito lentos. Apenas 24,1% da população já tomou as duas doses da vacina, o que condiciona o relaxamento das medidas de restrição impostas pelo governo local e consequente abertura do território ao exterior.

O sector de comércio e logística, que representa 20% do PIB da RAEHK e 17,5% do emprego, foi um dos mais afetados pela rutura nas cadeias de fornecimento e pelo fraco desempenho do comércio internacional. Outro sector fortemente afetado é o turismo e consequentemente, as atividades com ele relacionadas como hotelaria, restauração, feiras e convenções e comércio a retalho.
 

APOIO ÀS EMPRESAS NO MERCADO

O Governo da RAEHK apresentou o orçamento para 2020-2021 onde estão previstas medidas de apoio às empresas e de relançamento e estímulo à economia, das quais se destacam:

  • Estender o pedido de garantia de empréstimo a juros baixos e aumentar o limite do empréstimo para HK$ 6 milhões (€ 639,6 mil).
  • Fundo de HK$ 6,6 mil milhões (€ 706,3 milhões) para criação de 30.000 postos de trabalho.
  • Atribuição de vouchers no valor de HK$ 5.000 (€ 535) para cada residente permanente, para estimular consumo local.
  • Atribuição de HK$ 375 milhões (€ 40 milhões) ao Hong Kong Trade Development Council (HKTDC) para apoiar jovens empreendedores a desenvolver produtos inovadores.
  • Fundo de HK$ 934 milhões (€ 100 milhões) para apoio ao turismo.
  • Atribuição de HK$ 765 milhões (€ 81,9 milhões) ao Hong Kong Tourism Board (HKTB) para apoio na revitalização da indústria de turismo.

CONSELHOS ÚTEIS ÀS EMPRESAS

Hong Kong está a passar por um momento muito particular e incerto. O COVID-19 veio afetar ainda mais uma economia que vem sendo fustigada, desde 2019, pelos protestos sociais e pela guerra comercial entre a China e os EUA.

A RAEHK caiu 12 posições no índice anual de democracia da Economist Intelligence Unit, ocupando a 87ª posição mundial), e o futuro do regime “um país, dois sistemas”, bem visível na desclassificação pelas agências Fitch e Moody’s, levanta preocupações sobre o futuro económico e financeiro de Hong Kong.

É importante acompanhar as notícias referentes à situação no território, para definir uma estratégia para o mercado. 

SITES RELEVANTES

Nota: Tendo em conta o rápido desenvolvimento da pandemia COVID-19 e dos seus impactos na economia dos diversos países, a informação constante nesta página poderá não corresponder à totalidade da informação do mercado disponível e poderá ficar temporariamente desatualizada.

Última atualização: 15 de julho de 2021.

As empresas clientes da AICEP poderão contactar os respetivos Gestores de Cliente que lhes poderão fornecer informação adicional ou mais detalhada.