Tailândia: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio na Tailândia decorrentes da COVID-19.

MEDIDAS GOVERNAMENTAIS DE RELANÇAMENTO ECONÓMICO E APOIO ÀS EMPRESAS

O governo definiu o dia 1 de julho para suspender todos os bloqueios de negócios e atividades ordenados anteriormente; índice de produção industrial na Tailândia é o mais baixo em oito anos, em abril caiu 17% em relação ao ano anterior. A economia da Tailândia deverá sofrer uma contração de 11% neste trimestre, com um cenário de travagem forçada no consumo privado e no turismo, com exportações, consumo público e investimento fracos, bem como com retrações nos planos de investimento de grandes empresas nacionais e estrangeiras; foram lançados vários pacotes com medidas que visam aumentar a liquidez das empresas e das famílias e apoiar a recuperação económico. Foram tomadas medidas, mais direcionadas.

Destacam-se:

1) Dois pacotes de alívio económico de mais de 15,7 mil milhões de dólares- (março):

  • I. Empresas:

    a. Redução dos encargos financeiros (BoT plans liquidity support funding);

    b. Empréstimos de até 3 milhões de THB para PME a uma taxa de juros de 3% nos dois primeiros anos;

    c. Adiamento do prazo de entrega de impostos;

    d. Isenção de direitos de importação para produtos relacionados à prevenção e tratamento de Covid-19;

    e. Isenção de impostos e redução de taxas para reestruturação de dívida com credores de instituições não financeiras.
  • II. Famílias

    a. THB 5.000 por mês, durante três meses, para três milhões de trabalhadores não cobertos pelo Fundo de Segurança Social (SSF);

    b. Empréstimo de emergência de THB 10.000 por pessoa, com juros mensais de 0,1% (nenhuma garantia é necessária);

    c. Empréstimo especial de THB 50.000 por pessoa, com juros mensais de 0,35% (garantia necessária);

    d. Casas de penhores estatais cobrarão uma taxa de juros mais baixa, ou seja, 0,125% ao mês;

    e. Aumento das deduções para os prêmios de seguro de saúde;

    f. Isenção de imposto sobre pagamentos de risco para trabalhadores da saúde;

    g. Formação profissional.

2) Terceiro pacote de ajuda económica de 57,99 biliões de dólares em abril:

  • I. Empréstimos flexíveis para PME;
  • II. Empréstimo de emergência;
  • III. Apoio do setor de saúde e os indivíduos afetados pela pandemia;
  • IV. Apoio a agricultores, cidadãos e o setor de saúde por seis meses;
  • V. Distribuição de 5.000 baht para apoiar 9 milhões de trabalhadores para 3 meses podendo ser alargado para 6 meses;
  • VI. 400 Mil milhões de baht serão destinados à economia, a fim de fortalecer a atividade económica e o investimento em infraestrutura;
  • VII. Bank of Thailand cria um empréstimo bonificado com uma taxa de juros de 2% para PME com um limite de não mais de 500 milhões de baht por empréstimo;
  • VIII. Bancos comerciais e SFI (instituições financeiras especiais) adiarão pagamentos de capital e juros por seis meses para PME;
  • IX. Criação de um Fundo de Estabilização de Liquidez para permitir que o BOT compre títulos privados.

3) Outras medidas aprovadas pelo gabinete:

  • Em 14 de maio, a Tailândia estabeleceu um fundo de até 100 bilhões de baht para apoiar pequenas empresas afetadas pelo surto de Covid-19; 
  • 17 novos canais de TV digital para educação e formação profissional; 
  • O governo vai a compensar os inquilinos dos centros comerciais com um montante de 10.000 baht/mês durante três meses para aumentar sua liquidez;
  • Em 12 de maio novo um plano de 400 bilhões de baht ($12.45 billion) para criar empregos e fortalecer a economia;
  • Todas as escolas e universidades permanecerão fechadas. Qualquer escola ou universidade que deseje abrir antes da data designada deve solicitar permissão ao Ministério da Educação;
  • Suspensão das sentenças de prisão para mais de 8.000 internos em todo o país;
  • Para apoiar o distanciamento social, o governo decidiu aumentar a quantidade de eletricidade gratuita de 50 unidades para 90 unidades por mês para famílias com um medidor elétrico não superior a 5 amperes. O pagamento de eletricidade para essas famílias também será prorrogado por seis meses, sem qualquer penalidade;
  • Trabalhadores cujas empresas não foram obrigadas a encerrar, mas afetadas pela pandemia, receberão indemnização pelo regime de previdência social;
  • Lei para garantir a legalidade das reuniões online realizadas por organizações estatais e privadas devido ao distanciamento social;
  • Redução das tarifas de eletricidade para 22 milhões de famílias com pessoas em teletrabalho;
  • Pedido de apoio aos multibilionários para ajudar as pessoas afetadas através de projetos de assistência;
  • As 8 200 lojas de conveniência do grupo CPALL aceitaram vender produtos vindos diretamente de agricultores;
  • 5.000 baht em dinheiro para cada agregado familiar agrícola ( X 3 meses). Em estudo para o setor do turismo;
  • Implementação de projetos de parceria público-privada (PPP) no valor de 1,09 biliões de baht durante 2020-2027, para ativar a economia;
  • Novo plano de recuperação económica com a implementação de isenções para os custos operacionais das fábricas;
  • M. do Comércio com apoio de as sete plataformas on-line líderes promove a venda frutas para ajudar os agricultores.

Paralelamente:

  • Feiras anuladas, enfoque para eventos on-line;
  • Ajuda estatal para companhias aéreas e  voos domésticos operacionais  e prorrogação da proibição de voos de passageiros até 30 de junho;
  • A 3 de maio algum abrandamento das restrições atuais garantindo-se o efetivo controlo da saúde pública, reabrindo - agências bancárias, restaurantes fora de shoppings, lojas em geral e de telemóveis, eletrodomésticos, barbeiros e cabeleireiros, vendedores de comida de rua, parques e instalações de desporto ao ar livre;
  • A Federação das Indústrias pressiona a abertura dos setores de turismo e serviços;
  • Centros comerciais e grandes pontos de venda (inc. materiais de construção) poderão reabrir a 17 de maio, se não houver aumento de novas infeções.
  • Situação positiva devido ao robusto sistema de assistência médica no 6º lugar no Índice Global de Segurança em Saúde de 2019;
  • Monitorização da situação por duas semanas antes de decidir se deveria aliviar mais restrições ou reimpor medidas rigorosas de bloqueio;
  • O Turismo considera uma taxa de 300 baht chegadas do exterior para cobrir seguro contra pandemia, quando forem retomadas voos para o país.
  • Mais de 2,6 milhões de compradores registaram-se no aplicativo móvel "Thai Chana", após o seu lançamento em 17 de maio para coincidir com a segunda fase de relaxamento e abertura do comércio e restaurantes. Este aplicativo rastreia as pessoas dentro e fora das instalações e rastreia os contatos, caso haja pessoas infetadas, entre os compradores que visitam o mesmo centro comercial;
  • Thai Airways perdeu o status de empresa estatal com um plano de reabilitação através da falência;
  • Reserva de 39,42 bilhões de baht para financiar um novo programa de distribuição de dinheiro destinado a ajudar 13,14 milhões de pessoas ( crianças extremamente vulneráveis até 6 anos de idade, 9,66 milhões de idosos e 2 milhões de deficientes);
  • Corte de taxa de juros para 0.5% para amenizar os riscos negativos que permanecem elevados;
  • Gestão da moeda garantindo mais competitividade e estabilidade política, dois fatores essenciais para ajudar a reiniciar a economia;
  • Alfabetização digital e primazia do cliente, à medida que as empresas se adaptam ao novo comportamento pós pandemia;
  • Desenvolvimento de sistemas de análise de big data a fim de melhorar os serviços das contribuições e impostos na análise do comportamento dos contribuintes;
  • Novas medidas impondo a comprar produtos  e serviços de pequenas e médias empresas (PMEs);
  • Medidas de permanência em casa e distanciamento físico consideradas dever patriótico e a tradicional saudação tailandesa (wai) são grande parte do sucesso da evolução pandémica comentando-se que outro fator favorável é a cooperação com a China, que ofereceu aconselhamento médico discreto.
  • 25 de maio começou a ser testada uma vacina na Tailândia;
  • O Ministério das Finanças lança medidas financeiras e não financeiras destinadas a revitalizar a economia na retoma. Prioriza a criação de empregos na economia local;
  • Corte acentuado no imposto predial e IMI até 90% para este ano fiscal;
  • Fundo de capital de risco de 5 mil milhões de Bahts criado pelo Ministério da Indústria para apoiar indústrias em dificuldades.

A extensão do decreto de emergência e a flexibilização da Quinta Fase das medidas de bloqueio

O gabinete tailandês aprovou a extensão de um mês do Decreto de Emergência de 1 de julho a 31 de julho de 2020 para evitar uma possível propagação da segunda onda do surto.

Também introduziu a quinta fase de medidas de bloqueio, com as seguintes condições:

  • 1. As escolas e outras instituições de ensino retomam a atividade e são obrigados a cumprir rigorosamente as medidas de prevenção de doenças do governo.
  • 2. Os estabelecimentos comerciais, de entretenimento e de lazer que apresentam riscos devem agir da seguinte forma:

    - 2.1 Lojas de departamento, shoppings comunitários, centros de exposições, centros de convenções ou locais de exposições podem retomar seu horário normal de funcionamento, até às 22:00H. Lojas de conveniência e supermercados podem trabalhar durante o horário normal de funcionamento.

    - 2.2 Pubs e bares podem fornecer serviços até à meia-noite, enquanto alimentos e bebidas em restaurantes, hotéis e lojas podem ser fornecidos até depois da meia-noite, mas a venda de bebidas alcoólicas é proibida.

    - 2.3 Jogos e cibercafés podem trabalhar com horário limitado. - 2.4 As salas de massagem podem trabalhar dentro do horário legalmente permitido.
  • 3. Os ritos religiosos devem ser observados de acordo com as medidas de saúde exigidas pelo governo e as orientações da organização da administração religiosa.
  • 4. O transporte público deve seguir as medidas de saúde do governo e será inspecionado pelas autoridades.
  • 5. Governadores provinciais estão autorizados a permitir a abertura de canais comerciais considerados adequados e devem praticar medidas de proteção à saúde.
  • 6. Todos os tipos de empresas devem implementar medidas de prevenção de doenças da seguinte forma:

    - 6.1 Rastreamento da temperatura corporal e de sintomas respiratórios;

    - 6.2 Uso de máscara cirúrgica ou de pano;>

    - 6.3 Limite social mínimo de distanciamento e aglomeração de um metro;

    - 6.4 Fornecer condições para a lavagem das mãos com sabão, gel de álcool ou desinfetante.
  • 7. Quem for encontrado a violar estas normas ou a agir pondo em risco a saúde enfrenta um aviso ou uma punição máxima de encerramento temporário.

 

PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS NO MERCADO

Sendo a Tailândia uma economia fortemente dependente da procura externa, todos os setores enfrentam problemas (supply chain, liquidez e mão de obra). Constrangimentos de acordo com o nível de impacto:

  • Impacto Alto:

    Eletrónica (vendas smartphones contarem 20%), Química, Produção e Produtos de Madeira, Biotecnologia, Peças e Assessórios de Automóvel, Petróleo, Alimentos, Cosmética, Artesanato, Joalharia, Ervanária e Turismo.O Ministério do Turismo divulgou que receita no 1º trim., apresentou uma quebra 40%.  As chegadas de turistas podem cair 65% em 2020. Agentes de viagens querem turistas em julho. As vendas domésticas de carros caem 65% em abril, o nível mais baixo em 30 anos. A Federação das Indústrias da Tailândia estuda viabilidade de as fábricas de autopeças fabricarem dispositivos médicos ou peças de aeronaves. A Energy Absolute Plc (EA) continua a construção de uma fábrica de baterias de íon de lítio e o desenvolvimento de veículos elétricos;
  • Impacto Médio:

    Automóvel, Têxtil, Vidro, Metal, Ar Condicionado, Cerâmica, Medicamentos e Couro e Mobiliário. Uma visão negativa do setor de residencial e se o surto durar o primeiro semestre, as vendas ainda poderão cair de 20 a 30% em relação ao ano passado no setor. Fed. das Industrias propõe um esquema de troca de carros ao governo numa tentativa de aumentar a procura doméstica.
  • Impacto Baixo:

    Vestuário, Máquinas Agrícolas, Plástico, Telhas, Suplementos Dietéticos, Petroquímico, Açúcar, Óleo de Palma, Cimento, Gás, Equipamento Médico, TIC, Alumínio, Borracha, Máquinas e equipamentos, Celulose e Papel, Embalagem e Calçado.

A Tailândia teve sucesso em conter a maré de infeções por COVID-19, mas a economia deverá diminuir significativamente em 2020.

A recuperação será gradual, pois a economia poderá levar mais de dois anos para retornar aos níveis de produção anteriores ao COVID-19 e dependerá de uma resposta política eficaz, em particular o apoio a famílias e empresas vulneráveis.

Prevê-se que a economia da Tailândia seja severamente afetada pela pandemia do COVID-19, encolhendo pelo menos 5% em 2020 e levando mais de dois anos para retornar aos níveis de produção anteriores ao COVID-19, de acordo com o mais recente Relatório Económico da Tailândia do Banco Mundial.

A pandemia do COVID-19 chocou a economia, especialmente no segundo trimestre de 2020 e já levou a uma ampla perda de empregos, afetando tanto as famílias de classe média quanto as mais pobres.

O setor de turismo, que representa quase 15% do PIB da Tailândia, foi duramente atingido, com um fecho total da chegada de turistas internacionais desde março de 2020.

As exportações deverão cair 6,3% em 2020, sendo a maior contração trimestral dos últimos cinco anos, já que a procura de produtos tailandeses no exterior permaneceu fraca dada a desaceleração global.
Prevê-se que o consumo das famílias diminua 3,2%, já que as restrições de movimentos e a diminuição dos proveitos do trabalho, limitaram os gastos dos consumidores, especialmente no segundo trimestre de 2020.

À medida que a Tailândia começa a diminuir as restrições de mobilidade, o consumo doméstico, o tradicional motor mais forte do crescimento da Tailândia, pode aumentar na segunda metade de 2020 e em 2021, mas a recuperação económica será gradual e incerta.

Na linha de base, a economia tailandesa deverá crescer 4,1% em 2021 e 3,6% em 2022, o que representa uma lenta recuperação dos níveis de produção do PIB pré-COVID em meados de 2022.

A forma da recuperação está sujeita a riscos negativos consideráveis, incluindo crescimento global mais fraco, turismo fraco e interrupções contínuas do comércio e da cadeia de fornecimentos.

 

NOVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO DECORRENTES DO PÓS-COVID E CONSELHOS UTEIS ÀS EMPRESAS

A Tailândia é a 2ª maior economia da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN). Dentro do grupo de países asiáticos em que se insere, é um dos mais bem-sucedidos na atração de investimento direto estrangeiro.

Nos últimos meses assistiu-se a um aumento das compras on-line devido também ao período de confinamento.

Empresas que integrem soluções tecnológicas inovadoras poderão ter uma grande vantagem competitiva neste novo cenário de hábitos de consumo.

Produtos de consumo que apresentem inovação e design, Economia digital & Indústria de software (aplicado aos mais variados setores, agricultura, indústrias em geral e serviços), Equipamentos médicos, logística serão setores que apresentam oportunidades de negócio.

 

Novas medidas de estímulo para reanimar a economia

O governo Tailandês está a considerar oferecer incentivos fiscais à classe média e alta para estimular o consumo como parte das novas medidas para revitalizar a economia fragilizada pelo impacto da pandemia do coronavírus.

A Tailândia, como a maioria das economias de mercado emergentes, está a apostar numa política fiscal expansiva para amortecer o golpe da pandemia que devastou os setores do turismo e da indústria. O primeiro-ministro Prayut Chan-o-Cha está a querer acelerar os gastos do estado para reverter a economia que, segundo estimativas do banco central, levará dois anos para retornar ao nível pré-pandémico.

Embora a Tailândia tenha sido relativamente bem-sucedida em conter o vírus, com 3.746 infeções no total, a sua economia está a caminho de uma contração recorde este ano, depois da interrupção do comércio internacional e das viagens, os principais motores de crescimento do país. O governo anunciou planos para permitir o retorno gradual de turistas estrangeiros numa tentativa de minimizar a perda de empregos e evitar o encerramento de mais hotéis e empresas relacionadas com o turismo.

No entanto, o Ministério das Finanças diz que, com a ajuda das medidas de estímulo previstas, a economia deve contrair menos do que o projetado.

As medidas previstas pelo governo incluem a oferta, a partir de outubro, de doações em dinheiro para pessoas de baixo rendimento e atribuição de subsídios a 10 milhões de consumidores,, em pequenas quantias, ao longo de cerca de três meses. Também foram aprovados um orçamento operacional e um orçamento de investimento de 291 bilhões de Baht para 44 empresas estatais, no ano fiscal de 2021, iniciado a 1 de outubro.

Manter o poder de compra do consumidor e ajudar a reduzir o custo de vida das pessoas de baixo rendimento são os principais objetivos dessas políticas de estímulo.


Outubro 2020

Durante o mês de outubro a Tailândia esteve, durante uma semana, sob medidas de estado de emergência.

Estas medidas visaram controlar as manifestações de rua e pretendiam evitar consequências maiores em termos económicos. No entanto, um grupo de grandes empresas aconselhou algum cuidado na aplicação das medidas referidas.

As crescentes tensões políticas domésticas causaram ansiedade entre os investidores, com vendas contínuas na Bolsa de Valores da Tailândia (SET). O índice SET caiu -0,7% e -1,7% em 14 e 15 de outubro, respetivamente. Os retornos acumulados da bolsa tailandesa estão entre os de pior desempenho das bolsas da Ásia-Pacífico, com queda de 23,5%, de acordo com a Bloomberg.

Paiboon Nalinthrangkurn, presidente da Federação das Organizações do Mercado de Capitais da Tailândia, disse que os protestos políticos não são o único problema que pressiona a bolsa tailandesa, pois há fatores externos que minam a confiança.

As preocupações dos investidores com a turbulência política doméstica serão amenizadas se o governo puder controlar a situação.

No entanto o sentimento económico e as medidas de estímulo previstas continuam a ser os principais fatores que influenciam o movimento do mercado de capitais, com uma maior importância do que os protestos de rua em Banguecoque.

O Ministério das Finanças está a preparar-se para ajustar a estrutura tributária em termos de curto prazo para pessoas privadas, enquanto a médio e longo prazo pretendem oferecer benefícios fiscais e apoiar o investimento em empresas privadas e incentivarem os investidores estrangeiros na perspetiva de uma reabertura total da economia.


Segundo o Banco Mundial

A contração económica da Tailândia pode chegar a 10,4% este ano, já que o comércio e o turismo são atingidos pela crise da pandemia do Covid-19, de acordo com o Banco Mundial, muito superior ao previsto anteriormente.

A ser verdade esta previsão, levará pelo menos três anos para que o PIB recupere aos níveis anteriores à Covid, disse Kiatipong Ariyapruchya, economista sênior do Banco Mundial.

As tensões políticas persistem com a renúncia de membros importantes da equipe económica do governo e os protestos antigovernamentais podem levar a uma maior incerteza política e diminuição da confiança dos investidores.


Novembro 2020

A economia da Tailândia melhorou no terceiro trimestre, depois do governo diminuir as restrições do  movimento de pessoas e implementou uma série de medidas de estímulo à economia e ao mesmo tempo que controla o surto de Covid-19 no país.

O produto interno bruto (PIB) diminui cerca de 6,4% em relação ao ano anterior, de acordo com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Económico e Social, recuperando-se da contração prevista de 12,1% do trimestre anterior. O valor foi melhor do que a estimativa prevista de contração de 8,8%, de acordo com uma pesquisa da Bloomberg junto de 19 economistas. O conselho também alterou a  sua previsão para o ano inteiro para uma redução de 6%, relativamente à previsão anterior que era de uma queda de 7,3% a 7,8%.

Com o turismo e o comércio duramente afetados pelo surto, o governo gastou centenas de biliões de baht em doações em dinheiro e medidas de estímulo de um pacote económico de 1,9 trilião de baht para apoiar a procura local. Enquanto isso, o fortalecimento da moeda e os protestos políticos representam riscos para a frágil recuperação.

Todos os indicadores económicos, exceto o turismo, melhoraram no terceiro trimestre e os gastos do governo continuarão sendo o principal motor de crescimento para o próximo ano. O fortalecimento do baht e o alto nível de desemprego continuam a ser os maiores riscos para o crescimento no próximo ano.

O governo quer que o banco central controle a alta da moeda do país, o que ameaça os seus esforços para aumentar as exportações como uma compensação para a queda na receita do turismo. O baht disparou no mês passado, com a retoma dos fluxos estrangeiros para ações e títulos tailandeses.

Os desafios para a recuperação económica em 2021 incluem, o combate ao desemprego bem como à  seca, um surto de Covid-19 e a situação financeira e económica global.

As medidas para acelerar a recuperação económica devem se concentrar na gestão dos riscos da infeção da Covid-19, ajudar o setor do turismo, aumentar os gastos públicos, promover o investimento privado, prepararem-se para uma seca e diminuírem os movimentos de protesto existentes.


Dezembro 2020

De acordo com o ministro das Finanças, Arkhom Termpittayapaisith, a Tailândia precisa de reformar as suas estruturas tributárias para aumentar as receitas e para se preparar para novos desafios no futuro. Portanto, reformas na estrutura tributária são necessárias para impulsionar a alta tecnologia e a competitividade digital, criar negócios verdes e apoiar a saúde e o bem-estar das pessoas no país.

As tecnologias desempenharam um papel crucial na sociedade, especialmente durante o bloqueio no auge do surto Covid-19.

"Uma das megatendências globais é a tecnologia. Com o Covid-19 aumentou o impacto da tecnologia nas pessoas e nas empresas. Durante o bloqueio, não poderíamos pedir entregas de comida se não tivéssemos um smartphone. Essas tendências ajudam a acelerar a alfabetização digital entre os tailandeses em um ritmo acelerado e muitas empresas ainda estão avançando para o digital. Muitas empresas de tecnologia, como a Huawei, estão a educar as pessoas sobre como usar as tecnologias. Estamos a avançar nessa direção, embora ainda haja muito mais espaço para aumentar a alfabetização digital.", disse o ministro no fórum realizado pela Forbes Thailand.

A economia tailandesa dependente do turismo deve receber 8 milhões de visitantes estrangeiros no próximo ano e haverá uma recuperação para um nível pré-coronavírus de 40 milhões de visitantes até 2024, disse o ministro das Finanças, Arkhom Termpittayapaisit.

A segunda maior economia do Sudeste Asiático contraiu 6,4% no terceiro trimestre em relação ao ano passado, depois de cair 12,1% no trimestre anterior.

“A economia deve levar dois anos para se recuperar, mas o setor de turismo deve levar até 2024”, disse Arkhom.

“Se a viagem global ficar melhor do que o esperado depois que haver uma vacina, o nosso turismo pode voltar mais rápido”, acrescentou.

Embora a Tailândia tenha tido poucos surtos e retirado a maioria das restrições, não suspendeu a proibição de viagens imposta em abril. Recentemente, começou a receber um número limitado de turistas com vistos especiais que exigem quarentena.

Os gastos de quase 40 milhões de turistas estrangeiros no ano passado representaram pelo menos 11% do produto interno bruto.

O governo planeia emprestar 1 trilião de baht para ajudar a mitigar o impacto da pandemia em uma economia que as autoridades esperam contrair 6% este ano.

Outro dos compromissos que o governo da Tailândia tem, é o de obter uma vacina eficaz para enfrentar os desafios exacerbados pelo coronavírus. O governo encomendou vacinas para os tailandeses que espera fornecer gratuitamente. Estabeleceram uma meta em que esperam que metade da população seja vacinada até meados de 2021.

A Tailândia assinou recentemente um acordo com a AstraZeneca para garantir sua vacina Covid-19 e para a produção local das doses pela Siam Bioscience.

O governo destinou 43,5 biliões de baht para estimular a economia doméstica por meio de uma extensão do programa de co-pagamento que subsidia 50% dos alimentos e bens adquiridos em pequenas lojas, bem como seu programa de cartão de previdência estatal para pessoas de baixo rendimento.

O total de 43,5 biliões de baht está distribuído da seguinte forma: 22,5 biliões a serem alocados para a segunda fase do programa de copagamento e 21 biliões para o programa de cartão de previdência social.
A segunda fase do programa de co-pagamento usará fundos dos 400 biliões de baht destinados à reabilitação económica e social por meio de projetos voltados para a criação de empregos, fortalecimento de comunidades e construção de infraestruturas, enquanto o programa de cartão de bem-estar usará fundos de empréstimos de 500 biliões de baht previstos para ajudar as pessoas afetadas pela pandemia.

A segunda fase do programa de co-pagamento cobrirá mais cinco milhões de pessoas, com subsídios aumentados de 3.000 a 3.500 baht por pessoa.

Os 10 milhões de pessoas existentes que já se inscreveram no programa serão elegíveis para um adicional de 500 baht.

O programa para os cinco milhões adicionais de pessoas será implementado entre janeiro e março do próximo ano.

Atualmente, há cerca de 892.000 lojas registadas para aderirem ao programa e 9,56 milhões de pessoas registadas, com um gasto combinado de 33,38 biliões de baht.

No programa, o governo paga 50% das compras de alimentos, bebidas e bens em geral até 150 baht/r pessoa/dia, limitado a 3.000 baht por pessoa durante a vigência do programa, que começou em 23 de outubro e terminará em 31 de dezembro.

O governo concordou em estender por mais três meses (janeiro a março) a assistência financeira mensal de 500 baht concedida a 14 milhões de pessoas de baixo rendimento que possuem cartões de previdência social. Esta decisão foi aprovada pelo governo em setembro.

 

SITES RELEVANTES A CONSULTAR

Ministry of Public Health - Corona Virus Disease (COVID-19)
https://ddc.moph.go.th/viralpneumonia/eng/index.php

OMS - COVID-19 - Relatórios de situação da OMS na Tailândia)
https://www.who.int/thailand/emergencies/novel-coronavirus-2019/situation-reports

The World Bank - Major Impact from COVID-19 to Thailand’s Economy, Vulnerable Households, Firms: Report
https://www.worldbank.org/en/news/press-release/2020/06/30/major-impact-from-covid-19-to-thailands-economy-vulnerable-households-firms-report

The World Bank - Thailand Economic Monitor : Thailand in the Time of COVID-19
https://documents.worldbank.org/en/publication/documents-reports/documentdetail/456171593190431246/thailand-economic-monitor-thailand-in-the-time-of-covid-19

Thailand Business News - The Impact of COVID-19 on Thailand’s economy
https://www.thailand-business-news.com/economics/79869-the-impact-of-covid-19-on-thailands-economy.html

The Nation Thailand News - COVID-19
https://www.nationthailand.com/search?q=covid

Bangkok Post
https://www.bangkokpost.com/business/

Texto template inserido por JS

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.