Pequim: COVID-19

Conheça os constrangimentos, medidas de relançamento da economia e oportunidades de negócio em Pequim decorrentes da COVID-19.

MEDIDAS GOVERNAMENTAIS DE RELANÇAMENTO ECONÓMICO E APOIO ÀS EMPRESAS

  • Subsídios às empresas para manutenção e criação de novos postos de trabalho;
  • Redução de custos dos serviços portuários, facilitação de processos de desalfandegamento e despacho aduaneiro e redução de outros processos burocráticos em relação ao comércio externo;
  • Forte injeção de liquidez no mercado pela concessão de créditos, também possível pela redução de quotas à banca comercial permitindo assim o aumento do crédito concedido sobretudo às PMEs;
  • Redução de taxas de juro;
  • Aumento do investimento público em setores chave da economia chinesa, entre eles o farmacêutico, 5G, mobilidade elétrica, serviços da cloud, inteligência artificial, as apelidadas “novas infraestruturas”;
  • Prolongamento do prazo de pagamento da Segurança Social;
  • Corte de 130 milhões de yuans nas rendas de empresas ligadas à cultura;
  • Empresas estatais irão aumentar taxas de recrutamento durante os próximos dois anos;
  • Aumento de estágios para beneficiar estudantes trabalhadores.
  • Durante o primeiro semestre do ano, os cortes fiscais do Governo chinês totalizaram 1 500 mil milhões de yuans, avançou a State Taxation Administration of China, dos quais 894,1 mil milhões de yuans resultantes de medidas de relançamento económico pós-covid (In Global Times).
  • Também no decorrer do primeiro semestre, State Taxation Administration of China concedeu isenções e reduções de taxas à exportação, no total de 812,8 mil milhões de yuans (In Global Times).
  • Aumento do investimento público no setor de construção, seguindo o modelo tradicional de crescimento económico a China das últimas duas décadas.

 

QUAIS OS PRINCIPAIS CONSTRANGIMENTOS NO MERCADO

  • Transportadoras aéreas limitadas a 1 voo internacional por semana.
  • Instituto Municipal de Estatística de Pequim divulgou recentemente que o PIB deste município contraiu 3,2% durante o primeiro semestre, por comparação com período homólogo de 2019. No tocante às indústrias primárias, o setor de energia e produção térmica caiu 1,4%, a indústria automóvel 3,2% e a indústria farmacêutica 4,4%. No setor terciário, com um peso de cerca de 83% na criação de riqueza deste Município, os segmentos mais afetados foram comércio por grosso e a retalho, com uma quebra de 10,1%, transporte (13,6%) e logística 10,1%.
  • No município de Pequim, o investimento em ativos fixos também sofreu uma quebra de 1,5%. Os investimentos em infraestruturas caíram 20,1%. Nos setores primário, secundário e terciário a quebra de investimentos foi de 16,1%, 44% e 3,6%, respetivamente.
  • Relativamente aos indicadores sobre consumo, o mesmo Instituto revela uma quebra geral de 13% entre janeiro e junho, por comparação com período homólogo do ano passado. As vendas totais de bens de consumo por retalho sofreram uma queda de 16,3% para os 597,3 mil milhões de yuans, com destaque para as vendas de bens alimentares e bebidas que caíram 46,2%, ao passo que as vendas por retalho com recurso a plataformas digitais aumentaram 25,8%. O consumo de serviços contraiu 20%.
  • O Comércio Externo chinês contraiu 3,2% no primeiro semestre do ano, tendo por referência o período homólogo do ano passado. As exportações sofreram um decréscimo de 3,0% e as importações regrediram 3,3% (in General Administration of Customs of China).
  • Durante o primeiro semestre de 2020, na indústria têxtil, o Ministério da Indústria e Tecnologias de Informação da República Popular da China (MIIT) informou que receita agregada das maiores empresas contraiu 16,39%, e os lucros 27,34%, face a igual período de 2019.
  • Verificam-se fortes constrangimentos na participação de empresas e representantes em feiras e outros eventos de promoção realizados neste país, devido à impossibilidade de cidadãos estrangeiros se deslocarem à China por este motivo. Como exemplo desta contenda, a Feira Internacional de Importações de Xangai (CIIE), prevista para o próximo mês de novembro, não terá este ano um espaço dedicado a pavilhões nacionais e nela deverão participar apenas empresas já presentes e com representantes ou parceiros locais que atualmente se encontram em solo chinês.

 

NOVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO DECORRENTES DO PÓS-COVID E CONSELHOS UTEIS ÀS EMPRESAS

Aconselha-se às empresas nacionais que tenham especial atenção na aquisição de materiais e equipamentos médicos chineses devido ao aumento substancial do número de diferendos entre empresas portuguesas e chinesas, com estas últimas a não cumprirem condições contratualizadas e previamente pagas pelas empresas portuguesas alegando escassez de matérias-primas ou mudanças na legislação.

Noutro contexto, as empresas deverão estar preparadas para não poderem realizar visitas de prospeção ao mercado durante porventura todo o ano de 2020, necessitando de se adaptarem rapidamente aos novos meios digitais amplamente utilizados na China, incluindo participação em feiras e eventos online e vídeo-chamadas com parceiros ou potenciais parceiros locais.

Aos produtores nacionais que exportam bens agroalimentares para o mercado chinês, aconselha-se o reforço do controlo das mercadorias expedidas. As autoridades alfandegárias chinesas têm vindo nos últimos meses a aumentar o controlo, depois de terem detetado covid-19 em embalagens e contentores de camarão e asas de frango congeladas provenientes do Equador e do Brasil.

Por fim, releva-se a crescente importância dos canais de vendas on-line na China. Tratando-se de um meio altamente competitivo, as empresas não deverão ainda assim descurar esta aposta neste canal de vendas que mais cresce na China e que ganhou ainda maior peso durante a pandemia.

 

SITES RELEVANTES A CONSULTAR

People´s Daily:
http://en.people.cn

Ministério do Comércio da República Popular da China:
http://english.mofcom.gov.cn

Comissão Nacional do Desenvolvimento e Reformas da República Popular da China:
https://en.ndrc.gov.cn

Conselho de Estado da República Popular da China:
http://english.www.gov.cn

China Daily:
http://www.chinadaily.com.cn

Texto template inserido por JS

O nosso website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e exibir anúncios dirigidos. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies. Para saber mais leia a nossa Política sobre cookies. Aconselhamos igualmente a consulta da nossa Política de privacidade.